'Nas águas do Patu Anu' traz poesia e musicalização à 24ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes 


’Nas águas do Patu Anu’ estimula produção artística de alunos de escolas públicas

Agregar música, cultura e educação para alunos de escolas públicas é o objetivo da apresentação Nas Águas do Patu Anu, que aconteceu no dia 01/12 no palco Multivozes. A coordenadora e professora Lilia Belo, destaca que esta é uma ação do projeto ‘’Que nem Maré’, desenvolvido pela Secretaria de Educação do Estado (Seduc) nos Territórios pela Paz.

"O intuito é produzir esse intercâmbio entre a juventude de diferentes territórios que já produzem arte e cultura. Aqui nós conseguimos reunir 65 jovens da Terra Firme, Cabanagem, Coqueiro, Jurunas e Terra Firme pra que eles, juntos, produzissem um produto em homenagem à Pajé Zeneida Lima, que é a homenageada da Feira esse ano", diz. 

“A apresentação é fruto das oficinas do Terpaz que iniciaram ainda em novembro e, dentro de todo esse processo de interlocução, nós contatamos outras escolas para contribuir com a nossa apresentação. O resultado está aqui: jovens fazendo a diferença em suas comunidades de forma positiva, potencializando essas habilidades musicais e as produções artísticas e culturais".

Apresentação aconteceu no Palco Multivozes e conquistou o público

Sâmia Letícia é uma das jovens que integra o projeto. Ela ressalta que a iniciativa mudou a sua vida a partir da música e das oportunidades de relação com outros alunos. 

“Desde que o projeto chegou na minha escola eu procurei me envolver, fiz alguns amigos, me envolvi com os instrumentos e, quando vi, já tínhamos formado uma banda. Eu não tinha noção de que alcançaríamos tudo isso. As pessoas acham que não é possível encontrar coisas boas na periferia, mas isso é uma mentira. Todos nos reconhecemos artistas e por isso esse projeto é tão importante”, reforçou.

A visitante Kariana Costa estava acompanhando as duas filhas, que vieram ao evento em uma visita da escola. Ela conta que a localização contribuiu pra que ela estivesse presente na programação.

“Estou achando tudo muito bom, principalmente porque dessa vez fica próximo da minha residência. Eu sempre acompanho as Feiras e fiquei muito feliz pela oportunidade de vir aqui que é tão perto. É a primeira vez das minhas filhas, ainda vamos passear e aproveitar pra comprar alguns livros”, conta. 

Alunos de escolas públicas mostraram muito potencial artístico para os visitantes da Feira do Livro

A programação seguirá até dia 5 na Arena Guilherme Paraense, o Mangueirinho, sempre de 9h a 21h. Para garantir maior segurança ao público infantil e aos profissionais envolvidos, a visitação será dividida da seguinte forma: crianças e seus acompanhantes/responsáveis terão acesso preferencialmente das 9h às 13h, devendo permanecer no local até às 14h; a partir das 14h, os portões serão abertos para o público jovem/adulto. O objetivo é evitar a exposição das crianças ainda não vacinadas a uma maior circulação de pessoas.

Texto: Camila Santos (SEASTER)

01/12/2021 13h13 - Atualizada em 01/12/2021 14h28
Por Ascom (Feira do Livro)