Premiação do Prêmio Literário Ioepa Dalcídio Jurandir 2019 emociona 14 vencedores e o público neste sábado (04)


Os premiados do Edital Literário da Ioepa com a secretária de Cultura Ursula Vidal na Arena Multivozes

O Prêmio Literário Ioepa Dalcídio Jurandir 2019 foi entregue aos 14 vencedores em uma cerimônia de premiação neste sábado (4) na Arena Multivozes. O momento teve participação do presidente da Imprensa Oficial do Estado, Jorge Panzera; da Secretária de Estado de Cultura, Úrsula Vidal; e do coordenador da Editora Pública Dalcídio Jurandir, Moisés Alves. 

Durante a cerimônia, os premiados e o público assistiram a um vídeo do escritor e professor de Letras da Unama, Paulo Nunes. Ele falou sobre a satisfação de participar como jurado da premiação do edital, o qual considera um “mapeamento geopoético” da literatura produzida no Estado.

Paulo Nunes ainda parabenizou a 24° edição da Feira do Livro e a ação da Imprensa Oficial do Estado pelo trabalho à frente das publicações e estruturações de editais. Na visão dele, são contemplados diversos gêneros, vozes e modalidades de textos literários.

Autores eram só alegria durante a premiação que marcou o sábado (04) na 24ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes

"Nos impressiona o fato de nós termos, com as publicações feitas por este edital, um mapeamento de toda a ‘geopoética’ do Estado do Pará: do Xingu ao Marajó, do sul e sudeste do Pará à região metropolitana de Belém - sem esquecer da riquíssima região do Baixo Amazonas, Santarém e arredores", comentou Paulo.

 A cerimônia de premiação do Prêmio Literário Ioepa Dalcídio Jurandir 2019 começou com uma apresentação sobre a vida do escritor paraense que dá nome ao edital, Dalcídio Jurandir, seguida da entrega de um certificado e dos livros impressos pela Editora Dalcídio Jurandir. 

O edital foi lançado na abertura da 23ª Feira do Livro e das Multivozes, em 2019. Devido à pandemia de covid-19, a premiação e os lançamentos das obras só puderam ocorrer neste ano.

Abrangência - Para Moisés Alves, coordenador e editor da Editora Pública Dalcídio Jurandir, a premissa de abrangência do edital também foi cumprida, já que, das 12 regiões de Integração do Pará, autores de 10 destas regiões foram contemplados. 

Ursula Vidal e Jorge Panzera, presidente da Imprensa Oficial do Estado, receberam os premiados no palco da Arena Multivozes

"O alcance das regiões do Pará que foram atendidas pelo nosso edital mostra como ele foi transparente, inclusivo e democrático. Foi um trabalho inédito pela abrangência territorial, pelo fato de lançar autores nunca antes publicados e pela difusão de nossa cultura", afirmou Moisés Alves.

Jorge Panzera, presidente da Ioepa, destacou a importância do edital para a divulgação de novos autores e de obras inéditas e falou sobre a felicidade de poder receber todos os autores premiados. 

"Queremos agradecer a todos os que trabalharam nessa empreitada e que acreditaram na nossa proposta, que agora culmina nesse momento de celebração”.

Panzera também parabenizou a secretária Ursula Vidal pela parceria com a Imprensa Oficial do Pará e aos autores premiados. “O prêmio só existe porque eles se aventuraram nos caminhos do livro. Vocês deram sentido e razão ao Prêmio Dalcídio Jurandir", discursou Jorge Panzera.

“Quero parabenizar a Ioepa, que traz a força da nossa literatura, da nossa identidade regional. Agradecer por essa parceria nessa política pública de acesso à cultura, ao fomento à literatura e edição de livros. Parabéns à Editora Dalcídio Jurandir e aos escritores que hoje têm aqui materializado o sonho de ter o seu livro publicado”, declarou Úrsula Vidal.

Premiações e lançamentos - A jovem de Altamira (região do Xingu) Fernanda Karla Miranda Dalmam, estava muito feliz por ter a chance de mostrar seu primeiro trabalho a um público ávido pela literatura. Ela escreveu o romance “Clarice”, lançado neste sábado (04). na Feira do Livro.

“Estou cheia de orgulho por ser escolhida pela editora da Ioepa pra fazer minha estreia na literatura. O edital abriu portas para mim, fazendo com que fosse reconhecida por outros escritores de minha região e conhecesse outros autores de lá também”, contou. 

Carajás - O poeta Adalberto Marcos da Silva, de Marabá (Carajás), escreveu o poema “Somos Terra, Somos Água, Somos Vida”, contido no livro “Antologia Poética”, lançado pela Ioepa neste sábado (04). Ele disse que não poderia estar mais feliz por estar na premiação. “É um momento único. E ter participado do edital mais importante da literatura do Estado do Pará foi uma honra, uma felicidade imensa”, opinou o poeta.

Outro autor que vem da região dos Carajás, Airton Souza foi premiado com “Receita para Angustiar o Amor no Coração da Noite”, também lançado neste sábado. Ele afirmou que ter participado do edital foi uma chance de fazer seu trabalho ser mais conhecido e reconhecido. 

“Era um livro que estava guardado há anos e o edital da Ioepa foi a chance de trazê-lo à luz. Para nós, escritores, isso é uma dádiva, uma maravilha. O papel da Imprensa Oficial foi imprescindível na realização do meu sonho e de vários outros que estão aqui sendo concretizados”, relatou.

Foram premiados 14 autores de 11 livros: 10 em prosa e 1 coletânea de poesias

Taion Almeida, autor de “Pedra Preciosa”, da Região Araguaia, ressaltou a oportunidade que o Prêmio Literário Ioepa Dalcídio Jurandir 2019 trouxe para sua trajetória literária. “O edital foi lançado em um momento bastante oportuno. É muito importante um edital que revela novos autores, espero que frutifique, revele mais gente e que se transforme em uma política pública perene de Estado”, opinou Taion.

João G. Brito, que escreveu “Pelo Caminho do Rio Envelhecido”, da Região Cametá, também fez questão de definir o edital da Ieopa como um momento marcante em sua trajetória literária: “Tenho certeza que muitas portas vão se abrir para mim a partir desse prêmio da Editora Dalcídio Jurandir”.

O autor de “Bicho do Mato”, Franciorlys Viannza, da Região Guajará, também comentou sobre o edital da Ioepa. Para ele, editais que premiam com a publicação de livros são sempre ideais, pois dão a muitos escritores a chance de tirar sua obra da gaveta. “É muito difícil ter recurso para publicar um livro. Então, o edital da Editora Dalcídio Jurandir materializa aquilo que é um sonho do autor", avaliou Vianzza.

Foram premiados 14 autores de 11 livros, sendo 10 em prosa e uma coletânea de poesias, com quatro poetas. Os livros e seus respectivos autores são:

CATEGORIA PROSA - Taion Rehm Costs de Almeida - Região Araguaia – “Pedra Preciosa - Ou a incrível aventura que o garoto Heliodoro...”; Francisco Egon da Conceição Pacheco - Região Baixo Amazonas - “Marias e Encantarias II - Num tempo do era ...”; Airton Souza de Oliveira - Região Carajás – “Receita para angustiar o amor no coração da noite”; Felipe Figueiredo De Campos Ribeiro - Região Guajará – ‘Ínfimas Infâmias”; Marcos Samuel Costa da Conceição - Marajó  - “O Cheiro dos Homens”;  João Pereira Loureiro Júnior - Região Rio Caeté – “As Cores da Meia-Noite”;  Lincoln Campos Pereira (Lincoln Campos Pranahê) - Região Rio Capim –“Sapinho Perereco e o Grilo Saltitante”; e Franciorlys Viannza - Região do Guamá – “Bicho do Mato”;  João Gabriel dos Santos Brito - Região Tocantins – “Pelo Caminho do Rio Envelhecido”;  Fernanda Karla Miranda Dalmam - Região Xingu – “Clarice”.

CATEGORIA POESIA - Maria de Fátima Araújo Teles - Região Araguaia – “O Boi Pavulagem”; Igor Barbosa Marques - Região Guajará - “Sem Mais, Adeus!”; Adalberto Marcos da Silva - Região Carajás – “Somos Terra, Somos Água, Somos Vida”; Nathália da Costa Cruz - Região Guajará - “Cobaia”. 

Lançamentos – O estande da Ioepa recebeu quatro lançamentos de escritores premiados pelo Prêmio Literário Ioepa Dalcídio Jurandir 2019 neste sábado (04): “Antologia Poética”, com os poetas Maria de Fátima Araújo Teles, Igor Barbosa Marques, Adalberto Marcos da Silva e Nathália da Costa Cruz; “Clarice”, de Fernanda Karla Miranda Dalmam; “Receita para angustiar o amor no coração da noite”, de Airton Souza de Oliveira; - “O Cheiro dos Homens”, de Marcos Samuel Costa da Conceição; e “O Cheiro dos Homens”, de João Pereira Loureiro Júnior. 

 Texto: Ailson Braga/Ascom Ioepa (com informações de Julie Rocha e Railídia Barbosa)

05/12/2021 09h24 - Atualizada em 05/12/2021 10h39
Por Ascom (Feira do Livro)