Jovem com múltiplas deficiências lança “O Incrível Diário de Ana Vitória” no estande da Ioepa


O livro infantojuvenil “O Incrível Diário de Ana Vitória”, sobre a história de uma menina que ultrapassou diferentes barreiras e dificuldades desde o seu nascimento, foi lançado na tarde deste sábado (16), no estande da Imprensa Oficial do Estado. Vivi, como é carinhosamente chamada, nasceu prematura e foi diagnosticada com paralisia cerebral, com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e Surdez Neurossensorial Bilateral, mas não se limitou a todos os diagnósticos e sempre gostou de escrever.

Durante o lançamento, Vivi, hoje com 17 anos, foi recepcionada com aplausos dos muitos admiradores que a seguem em sua trajetória de luta. Bailarina, iniciou os passos da dança aos 4 anos, e agora investe na carreira de modelo. Foi durante o lançamento do seu livro, considerado um sonho realizado, que Vivi também recebeu a faixa de Miss Diversidade, de um concurso que ocorrerá em outubro, em Belém.

Segundo a mãe, Ailza Simião de Carvalho, que acompanha e incentiva a trajetória da filha ao lado do irmão, Alcides Inácio Sousa Simião, os textos do diário começaram a ser escritos no bloco do celular da filha, quando ela tinha 13 anos. “Ela ia enviando e fomos ajeitando. Não quisemos mexer muto na escrita para ficar mais original pois, como ela tem surdez, estava ainda no processo transição da Libras pra a Língua Portuguesa, então quem tiver a oportunidade de ler o livro e conhecer ou ser surdo vai identificar essa transição da Libra”.

A mãe, que era contadora e teve que mudar de profissão para dar mais suporte ao desenvolvimento da filha, disse estar feliz com a realização de Ana Vitória. “Ana conseguiu lançar seu livro, chegar ao concurso, modelar, dançar, são os sonhos que tanto queria realizar. Ana foi a realização de um sonho, o meu sonho de ser mãe”, contou a mãe, emocionada, que hoje é professora de Libras e tradutora/intérprete.

O professor de Libras e tradutor/intérprete da Universidade do Estado do Pará, Alcides Simião, também teve que mudar de profissão para conseguir acompanhar a sobrinha. “Trabalhava na área de Tecnologia e Sistemas, quando resolvi entender a linguagem dos surdos. Me preocupava como ela seria tratada fora de casa, e me tornei professor”, disse ele.

Uma fila se formou para Ana Vitória autografar o livro, formada por amigos, parentes e ativistas. A obra é uma parceria entre o Centro Integrado de Cidadania (CIIC) da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), com emenda parlamentar do deputado Carlos Bordalo.

É uma obra com uma simbologia muito grande. Além da missão social da editora de valorizar as publicações de autores regionais, o ‘Diário de Ana Vitória’ é um livro que trata da inclusão, da superação, do modo de viver, de pensar diferente, da acessibilidade e de como uma jovem superou os movimentos da vida e transformou sua história em um livro”, disse Mailson Lima, da Editora Pública Dalcídio Jurandir.

Serviço
O livro “O Incrível Diário de Ana Vitória” é um lançamento da Editora Pública Dalcídio Jurandir e está à venda por R$ 20, no estande da Imprensa Oficial do Estado, na 26º Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, no Hangar, em Belém. 

Texto: Julie Rocha (Ascom/Ioepa)

16/09/2023 19h23 - Atualizada em 16/09/2023 19h26
Por Comunicação (Feira do Livro)